O que as Vacas querem nos dizer quando recebemos alertas de saúde da Cowmed?

A Cowmed consegue identificar quando uma vaca está “fora do seu padrão” ou como costumamos dizer “em desafio”, e pela forma como esta variação ocorre, conseguimos identificar um problema de saúde.

O primeiro ponto que precisamos ter em mente é que a Coleira Cowmed (desenvolvida para ruminantes: gado de leite e gado de corte) monitora o comportamento da vaca, criando um padrão específico para cada animal. Desta forma, consegue identificar quando uma vaca está “fora do seu padrão” ou como costumamos dizer “em desafio”, e pela forma como esta variação ocorre, conseguimos identificar um problema de saúde.

Assim como as diversas tecnologias voltadas a pecuária de precisão, o maior desafio das fazendas está em: o que fazer com essa informação? com este alerta?


Antes de entendermos os alertas, precisamos entender como um problema de saúde se manifesta.

Para melhor entendermos vou utilizar o exemplo de uma gripe em nós seres humanos. Todos os dias somos expostos a milhares de vírus, bactérias e fungos, quase todos com poder de causar algum dano a saúde. Estamos sempre em constante desafio por estes agentes, mas nosso organismo possui imunidade, que na infinita maioria das vezes consegue controla-los sem percebermos. Somente quando existe um desafio maior ou uma imunossupressão sentimos essa tentativa de compensação do organismo.

Quando vamos “gripar” nosso corpo começa dar sinais dias antes: começamos com algum desconforto, nos alimentamos menos, surge a febre dando sinais de que nosso corpo está reagindo e somente depois os sinais respiratórios como tosse, coriza, dor de garganta se tornam mais evidentes.

Se estivermos bem alimentados, sem stress, confortáveis e saudáveis em nossas rotinas provavelmente nosso corpo será mais eficiente na defesa, ou no máximo que o vírus da gripe pode causar é um resfriado ou um desconforto inicial. Já se estivermos mal alimentados, estressados, desconfortáveis e com o nosso sistema imunológico baixo, esse vírus da gripe pode nos derrubar.

As vacas, assim como nós humanos, também enfrentam desafios. Estes podem ser infecciosos, ambientais, sociais, metabólicos, etc. A tentativa de compensação de desafios maiores, leva às mudanças de comportamento detectados pela Cowmed. Isto chamamos de “alerta de saúde”.

Quando você recebe um alerta de saúde da Cowmed o que queremos dizer é “dê uma atenção a essa vaca, ela está sob desafio e precisamos entender o que está acontecendo antes que seja tarde”. Em alguns casos esta vaca irá se defender com seu sistema imunológico e em outros casos, esse sistema imunológico não será eficiente e ela irá adoecer.


Então quer dizer que quando recebo um alerta de saúde a vaca está ficando doente?

Não necessariamente, conforme nosso consultor, o Professor PhD. Marcelo Cecim (UFSM), sugere uma classificação entre fatores extrínsecos e intrínsecos às vacas, que podem causar alterações nos animais, e os profissionais da fazenda, precisam aprender a interpretar quando ocorre esse tipo de evento.


Dentre os fatores extrínsecos que podem causar alterações de comportamento dos animais, e gerar eventuais alertas, estão:

  • Mudanças de dieta na fazenda;
  • Domínio social, principalmente em fazendas em que ocorre muitas mudanças de animais entre lotes, ou mudanças involuntárias na hora da ordenha (lotes bagunçados);
  • Manejos reprodutivos, em que a rotina do animal é alterada pelo tempo que ele fica preso ou mesmo é exposto a uma agitação;
  • Colaboradores novos, em fazendas em que os animais não são acostumados com pessoas estranhas a rotina;
  • Animais de fora da fazenda: animais selvagens que invadem o galpão (Ex. cachorros estranhos a fazenda);
  • Maquinas trabalhando que assustam as vacas;
  • Problemas no manejo de ordenhas que fazem com que o animal fique retiro mais tempo que o necessário;
  • Problemas na rotina de alimentação (quebra de vagão misturador, equipamentos mal regulados);
  • Colaboradores agressivos;
  • Vacinas;
  • Stress térmico;


Todos esses fatores, podem de alguma forma causar variações no comportamento dos animais que poderão se refletir em um alerta relacionado a saúde, pois a vaca alterou seu “padrão de comportamento” (comeu menos, ruminou menos, ficou assustada, etc). Importante ressaltar que as vacas possuem sensibilidades individuais diferentes a cada desafio (Ex. Zona de conforto térmico individual), sendo assim, um evento ambiental pode afetar uma determinada vaca e não afetar outra.

Porém o que diferencia este alerta, de um problema de saúde, é que normalmente esta variação será por um período curto (pontual) e no dia subsequente esta animal volta ao estado normal, ela “compensa” o seu comportamento do dia anterior, normalmente come mais, rumina mais e na sequência volta ao seu estado normal


Aparentemente a rotina da fazenda está normal, como proceder então?

Se não houve nenhum manejo diferente na fazenda que possa estar associado a mudança de comportamento, precisamos observar os fatores intrínsecos da vaca, que são: infecções, metabolismo, stress térmico (animais respondem de diferentes formas ao stress térmico), e social (uma vaca dominante que não deixa a outra comer).

Estes aspectos podem ser avaliados por um profissional capacitado e/ou pelo Med. Veterinário da fazenda que poderá dar um diagnóstico mais preciso.


Estou com dificuldade de mão-de-obra para avaliar todos os casos, tem alguma maneira de facilitar o trabalho?

Avaliar todos os casos alertados é a melhor forma de obter os melhores resultados, porém sabemos que a dinâmica da fazenda as vezes dificulta esse procedimento, neste caso, nossa equipe técnica sugere o seguinte.

Vacas em fase de lactação com status “EM OBSERVAÇÃO” realizar check-list 1 ao 6 (procedimento mais prático que não requer retenção de animais).

  1. Verificar a atitude e disposição da vaca: está se alimentando bem? se alimenta com atitude e ingere o alimento normalmente?
  2. Checar o Score de rúmen: revela se a vaca está enchendo o rumem ao comer, é um dos primeiros sinais de patologias.
  3. Verificar como foi a produção de leite desta vaca comparando os últimos dias com o seu histórico de produção.
  4. Fazer o teste CMT na hora da ordenha (mastite subclínica também afeta o comportamento das vacas).
  5. Verificar se a vaca não está com algum casco inflamado, casco machucado e/ou dificuldade para caminhar.
  6. Anormalidade nas fezes dos animais.

Se você não identificou nada de diferente, pode parar por aqui. Agora, algum destes testes apresentou alguma anormalidade? ai é preciso dar continuidade, reter a vaca, e prosseguir com as outras avaliações:

  1. Termometria (verificar a temperatura retal da vaca). Acima de 39,4 é considerada febril.
  2. Verificar corrimentos uterinos (fétido, “muco sujo”).
  3. Em vacas de pré-parto, se a sua fazenda não possui rotina de avaliação, fazer o teste de corpos cetônicos na urina (aliás esta deve ser uma rotina da sua fazenda se você deseja ter uma transição segura).

As vacas que são alertadas com o status de saúde “GRAVE”, precisam passar pelo check-list completo, pois são casos em que o quadro clínico já está deixando a vaca debilitada.

Feito isso, você e o medico veterinário da sua fazenda terão condições de realizar com maior exatidão o diagnóstico e escolher o melhor tratamento para a sua vaca.


Fiz o Check-list até o 6, não detectei nenhuma anomalia na vaca, porém a vaca continua “EM OBSERVAÇÃO”?

Voltamos ao exemplo da gripe. A vaca pode se sentir desconfortável muito antes de externalizar um problema clínico. Esse período em que ela está desconfortável também é conhecido como imunossupressão, que é quando a imunidade da vaca está agindo.

Uma vaca pode permanecer por alguns dias nesta fase e por isso permanecem como “em observação”. Estas vacas, internamente na Cowmed chamamos de “vacas em desafio”, pois estão no “limbo” entre a autorrecuperação ou o surgimento da patologia. Qualquer evento que reduza a imunidade, pode ser crucial para ela desencadear um problema de saúde.


Algumas propriedades costumam adotar algum tipo de protocolo metafilático, ou seja, um protocolo com vitaminas e anti-inflamatórios que podem dar aquele “up” que a vaca precisa para superar este momento difícil. Mas esta é uma decisão gerencial, que só poderá ser recomendada pelo seu veterinário de confiança.


Acabou?

Sim, ufa! Desculpe o texto longo, mas cuidar da saúde de vacas é mais complexo do que imaginamos. Porém se utilizarmos uma ferramenta como a Cowmed que nos alerta precocemente, e fizermos o dever de casa de examinar e criar procedimentos na fazenda para não deixar nada passar despercebido, você conseguira reduzir os gastos com medicamentos, otimizar sua mão de-obra e reduzir a perda de animais.

Lembre-se: Pecuária de Precisão é uma atitude e requer dedicação de todos os envolvidos com a fazenda.